Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Diretor Geral > Assuntos > HISTÓRICO DO CÂMPUS DE SOROCABA > HISTÓRICO DO CÂMPUS DE SOROCABA
Início do conteúdo da página

HISTÓRICO DO CÂMPUS DE SOROCABA

Histórico do Câmpus e sua Caracterização

 

 

O IFSP/Câmpus Sorocaba iniciou suas atividades em 22 de abril de 2014 através da implantação de cursos do Programa Nacional de acesso ao ensino Técnico – PRONATEC. Foram pactuados inicialmente cinco cursos: Agente de informações turísticas, Auxiliar de administração, Auxiliar de recursos humanos, Auxiliar de pessoal e Auxiliar financeiro.

A primeira etapa de funcionamento do Câmpus aconteceu no pavimento superior do ETC - Núcleo de Tecnologia e Cultura da Universidade Federal de São Carlos - UFSCAR. Inicialmente a área abrigava 4 salas de aulas, 1 laboratórios de informática, sala da administração, coordenadoria de registros acadêmicos, banheiro feminino, banheiro masculino, banheiro para cadeirantes e copa.

A chegada do IFSP em Sorocaba vem atender uma necessidade de qualificação profissional da região, além de colaborar no desenvolvimento crescente da cidade de toda a região metropolitana.

Na etapa inicial do processo de implantação do Câmpus Sorocaba, foi definido que o Câmpus ofereceria apenas cursos técnicos, ofertando em um primeiro momento o Curso Técnico Concomitante/Subsequente em Administração.

No dia 10 de maio de 2016 o IFSP Sorocaba deixou a condição de Câmpus Avançado, tornando-se Câmpus Pleno. Como parte da ampliação das suas atividades foi implantado o Curso Técnico Concomitante/Subsequente em Eletroeletrônica no segundo semestre de 2016. No 1º semestre de 2018 foi iniciada a primeira turma do Curso Técnico em Administração Integrado ao Ensino Médio. Em 2018, no primeiro semestre, também foi implantado o Curso superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos e a partir do 2º semestre de 2018, foram ofertadas vagas para o início do curso Técnico Concomitante/Subsequente em Mecatrônica no período vespertino.

Sorocaba é a cidade sede da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), que foi institucionalizada em 8 de maio de 2014 pela Lei Complementar Estadual nº 1.241 e é composta por 27 municípios.

Seus mais de 2,1 milhões de habitantes representam 4,65% da população estadual, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para 2018.  Em 2015, a região gerou aproximadamente 4% do Produto Interno Bruto (PIB) paulista.

A RMS está situada estrategicamente entre duas importantes regiões metropolitanas do País − São Paulo e Curitiba −, além de manter limite territorial e processo de conurbação com a Região Metropolitana de Campinas. Destaca-se, em âmbito nacional, por intensa e diversificada atividade econômica, caracterizada por produção industrial altamente desenvolvida, com predominância dos setores metal-mecânico, eletroeletrônico, têxtil e agronegócio (cana-de-açúcar).

Doze de seus municípios estão localizados no eixo das Rodovias Castello Branco e/ou Raposo Tavares, com economias baseadas em atividades industriais. Destes, cinco apresentam especial relevância na economia paulista: Sorocaba, Itu, Votorantim, Salto e Itapetininga. É a maior produtora agrícola entre as regiões metropolitanas do Estado de São Paulo, com elevada diversidade. Tem papel relevante na produção estadual de minérios, como cimento, calcário, rocha ornamental, pedra brita e argila, entre outros.

Em 2013, a soma do Produto Interno Bruto dos municípios que compõem a RMS foi de R$ 67,24 bilhões, o equivalente a 3,46 % do PIB geral do no Estado. Ocupa o 15º lugar na economia.

Sorocaba tem a Densidade demográfica (hab./km²): 1.306,55; Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,798; IDH-M Renda: 0,792; IDH-M Longevidade: 0,843; IDH-M Educação: 0,762. Atualmente, o município é a quarta maior cidade do interior do Estado de São Paulo. A cidade é um importante polo industrial desse Estado, sendo a quarta maior cidade em desenvolvimento econômico do Estado de São Paulo, atingindo um Produto Interno Bruto - PIB - de R$ 27 bilhões.

A cidade, pelo seu dinamismo econômico, participa de forma bastante ativa do comércio exterior, com uma corrente de comércio de U$ 3.447.478.386, e com presença entre movimento de exportação e importação em cerca de 120 países.

As principais bases de sua economia são os setores de indústria, comércio e serviços, com mais 30.937 mil empresas instaladas, sendo mais de dois mil delas indústrias. Sorocaba registra, hoje, considerável diversificação econômica, sendo a quarta cidade em desenvolvimento econômico do estado, com PIB per capita de R$53.000 mil, segundo dados da Fundação SEADE de 2014.

Sorocaba faz parte do Complexo Metropolitano Estendido da cidade de São Paulo, que é formado pelas regiões metropolitanas de São Paulo, Campinas, Baixada Santista e pelas cidades de São José dos Campos e Jundiaí, com população somada ultrapassa os 31.000.000 de habitantes. Segundo pesquisa da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados Sorocaba e Campinas respondem 33,5% do PIB industrial paulista e 11,2% do PIB Nacional.

Sorocaba é sede e polo da região e seu município mais populoso e complexo economicamente, respondendo, no total pó 27% do PIB, 20,8% do total de estabelecimentos e 26,2% do total de empregos. O município possui uma agricultura articulada com a indústria, uma infraestrutura privilegiada, que lhe dá acesso fácil à metrópole paulista e à região de Campinas, e um aeroporto que é um dos maiores polos de manutenção de aeronaves de pequeno e médio porte das Américas. Sorocaba também se destaca na área de energias renováveis, contando com empresas nas áreas de geração solar e eólica. Ao longo dos anos, sua indústria evoluiu da produção de bens não-duráveis, para a de bens intermediários e, finalmente, para a de bens duráveis e de capital, desenvolvendo um setor de serviços para o atendimento de empresas e famílias.

Fim do conteúdo da página